Psicoterapia Psicodinâmica

Muitas pessoas passam por dois ou três profissionais de psicologia antes de definirem com qual terapeuta realizarão seu tratamento. Costumam comentar com amigos que não se "adaptaram" à maneira de trabalho deles. Isso ocorre porque grande parte das pessoas desconhece que existam diferentes linhas terapêuticas, e, assim, não buscam os profissionais adequados.

A Psicoterapia  Psicodinâmica assenta na crença de que o nosso comportamento é determinado por processos mentais inconscientes. Estes processos são, na sua maioria, constituídos durante a infância.

Os métodos de adaptação ao mundo e aos outros, desenvolvidos enquanto crianças, resultam de uma relação de total dependência dos progenitores e/ou de uma marcada ausência de laços afectivos. Como tal, podem já não ser eficazes quando nos tornamos adultos. Por esta razão, a infância e as relações com os pais ou outras pessoas de importância crucial para o desenvolvimento emocional da pessoa são muitas vezes o ponto de partida do encontro terapêutico.

É a relação com o psicoterapeuta que permite à pessoa tornar-se consciente dos seus mecanismos de defesa desajustados. Apesar de terem servido um propósito no passado, estes mecanismos, outrora relevantes e úteis, tornam-se agora obsoletos e até mesmo impeditivos de uma adaptabilidade a uma realidade atual distinta. A partir da constatação de que dispõe de uma multiplicidade de novos recursos e opções, a pessoa torna-se mais capaz de resolver os seus problemas com base em uma reforçada confiança na sua maturidade e independência atuais.

Esta nova percepção promove na pessoa um maior auto-conhecimento e uma maior tomada de consciência de como gere a sua relação consigo própria e com os outros. O seu bem-estar irá refletir-se numa maior qualidade de vida, liberdade e flexibilidade para enfrentar futuros desafios.

A psicoterapia psicodinâmica tende a ser menos intensa e mais breve do que a psicanálise e privilegia a dinâmica da relação cliente/terapeuta num ambiente seguro, de total aceitação e empatia.

Sendo a psicoterapia um esforço concertado para criar significado onde há ansiedade, confusão ou vazio, a confiança no seu terapeuta é fundamental. As sessões têm a duração de 50 minutos e devem ser semanais ou ocorrer com mais frequência, se necessário. Será a complexidade do seu problema que irá determinar a duração da terapia. Estes aspectos mais práticos são geralmente definidos logo na primeira sessão, embora possam ser feitos ajustes necessários em sessões futuras.